50 anos do campeonato de 1968: Alecrim Futebol Clube Campeão invicto em 1968!

Flâmula do campeonato de 1968.

Parece que foi ontem, no entanto já se passaram 50 anos, as paredes da memória me trazem de volta aquele 10 de julho de 1968, uma quarta-feira de noite chuvosa, no estádio Juvenal Lamartine o Alecrim vencia o Ferroviário por 2 x 0 com gols de Icário e Elson e sagrava-se campeão invicto de 68. A escalação todo alecrinense sabe de cor: Eliezer, Luizinho, Miro, Cândido e Anchieta, Valdomiro e Pedrinho, Zeze, Elson, Icário e Burunga. Atuaram  como reservas o goleiro Augusto, Genilson, Estorlando (Pistolão), Rui Falcão e Odisser, cujo irmão Odilon seria campeão pelo Verdão em 1985, quebrando assim um jejum de 17 anos. E como não destacar o nosso centroavante Icário (camisa 9) que foi o grande artilheiro do campeonato (com 8 gols), fazendo história  e se tornando o maior artilheiro de todos os campeonatos potiguares.

A diretoria era composta por Dr. Severino Lopes, Dr. Pedro Selva Bastos Santana, Clovis Mota. Todos já falecidos. O treinador da equipe foi nosso querido Pedrinho Teixeira, o popular Pedrinho 40, indubitavelmente o melhor treinador do RN em todos os tempos. Não podemos esquecer que o governador da época, Monsenhor Walfredo Gurgel e seu vice, Clóvis Mota, eram torcedores fervorosos do Alecrim FC.

O campeonato foi disputado pelas seguintes equipes: Alecrim FC, ABC, América,Ferroviário, Atlético, Riachuelo.

A campanha:

Alecrim 3×2 e 1×0 Riachuelo;

Alecrim 2×1 e 2×2 América;

Alecrim 5×0 e 4×0 Atlético;

Alecrim 1×1 e 1×1 ABC;

Alecrim 3×1 e 2×0 Ferroviário.

Nesse dia 10 de julho vamos recordar e comemorar esta data importante cantando como o rei Roberto Carlos:” Eu me lembro com saudade o tempo que passou, o tempo passa tão depressa mas em mim deixou, jovens tardes de domingo, tantas alegrias, velhos tempos, belos dias…”

José Normando Bezerra

Conselheiro do Alecrim FC

One thought on “50 anos do campeonato de 1968: Alecrim Futebol Clube Campeão invicto em 1968!”

  1. Estava neste jogo com meu pai, Dr. Pedro Selva. Uma maravilhosa recordação. 50 anos, porém bem vivo na minha memória.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *